Cursos e Profissões

Engenharia de Pesca: tudo sobre o curso e a carreira

Descubra se essa graduação combina com você, quais são as principais disciplinas e atividades, e as ocupações no mercado de trabalho

Acessibilidade

Você sabe o que faz um profissional graduado em Engenharia de Pesca? Além de atuar na criação de animais aquáticos, no manejo de recursos pesqueiros e no processamento de pescado, ele também é responsável pela preservação de ecossistemas na água.

Mas será que este setor é promissor? Bem, em 2023, o Brasil produziu cerca de 887 mil toneladas de peixes de cultivo, de acordo com o levantamento da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR). E, na última década, a produção cresceu 53,25%.

Ou seja, a área está em constante crescimento no país, principalmente pelo clima propício e potencial hídrico.

Assim, se você em algum momento considerou fazer a graduação de Engenharia de Pesca, nós resolvemos ajudar com orientações sobre o perfil do curso universitário, áreas de atuação, perspectivas para o futuro e muito mais!

Quem sabe essa não é a carreira certa pra você? 🐟

Como é o curso de Engenharia de Pesca?

O curso de Engenharia de Pesca é uma jornada fascinante que combina teoria e prática, proporcionando uma formação completa e alinhada com as demandas atuais do mercado.

A grade curricular proporciona uma formação científica e tecnológica, com ênfase em Biologia, possibilitando o amplo estudo de seres aquáticos, principalmente as espécies de interesse econômico.

Quais são os gostos e interesses dos alunos de Engenharia de Pesca?

Os alunos que escolhem Engenharia de Pesca geralmente têm um grande interesse pelo meio ambiente e pela vida aquática. Eles gostam de atividades ao ar livre, biologia marinha e estão sempre curiosos sobre as tecnologias de pesca e aquicultura.

Além disso, podem ter um forte senso de responsabilidade ambiental e desejam contribuir para a sustentabilidade dos recursos naturais.

Esses estudantes também se destacam por serem analíticos e terem habilidades em Ciências Exatas, que são essenciais para a resolução de problemas complexos que exigem cálculos.

Maiores dificuldades encontradas pelos alunos

Como em qualquer Engenharia, os estudantes de Engenharia de Pesca enfrentam diversos desafios ao longo de sua formação. Muitos relatam dificuldades nas disciplinas de Cálculo e Física, que são fundamentais para o curso.

Além disso, a realização de estágios e trabalhos de campo pode exigir deslocamentos e mudanças na rotina, o que pode ser desafiador para alguns.

👉 Leia também: 10 passos para escolher o curso que mais combina com você

banner teste vocacional

Transformações e novidades da profissão

A Engenharia de Pesca vivencia grandes transformações, impulsionadas pelas novas tecnologias e pela preocupação com a sustentabilidade, a fim de possibilitar a manutenção e continuação da indústria de pesca.

O uso de drones e sensores para monitoramento de estoques pesqueiros, por exemplo, tem revolucionado a maneira como os engenheiros de pesca trabalham.

Além disso, a aquicultura, ou cultivo de organismos aquáticos, tem se tornado uma área de grande destaque, com técnicas cada vez mais avançadas para a criação de peixes, crustáceos e moluscos.

Essas inovações não só aumentam a eficiência da produção, mas também ajudam a preservar os ecossistemas naturais.

O que se aprende no curso de Engenharia de Pesca?

O curso de Engenharia de Pesca prepara o estudante para atuar em áreas relacionadas à pesca e aquicultura.

Desde as primeiras disciplinas, os alunos são introduzidos aos conceitos fundamentais da Engenharia e das Ciências Biológicas, adquirindo uma base sólida para as matérias mais avançadas.

Matérias e disciplinas abordadas no curso

As disciplinas introdutórias costumam ser Introdução à Engenharia de Pesca, Química Geral e Analítica, Biologia Celular, Matemática, Ecologia e Zoologia Aquática, essenciais para o entendimento dos processos biológicos e físicos do ambiente aquático.

Já as disciplinas específicas abordam temas como tecnologias de pesca, manejo de recursos pesqueiros, aquicultura e gestão ambiental.

📚 Os alunos também têm a oportunidade de participar de atividades práticas, como laboratórios e trabalhos de campo, que são fundamentais para a formação técnica e científica.

Perfil profissional do graduado no curso de Engenharia de Pesca

O graduado em Engenharia de Pesca é um profissional preparado para atuar em diversas áreas, desde a gestão de recursos pesqueiros até o desenvolvimento de tecnologias inovadoras para a pesca.

Esse profissional pode trabalhar em empresas privadas, órgãos governamentais, ONGs e instituições de pesquisa. Afinal, sua atuação é crucial para garantir a sustentabilidade dos recursos aquáticos e a eficiência das atividades pesqueiras.

Como é o mercado de trabalho na área de Engenharia de Pesca?

O mercado de trabalho para o Engenheiro de Pesca é bastante promissor, especialmente devido ao aumento da demanda por alimentos e à necessidade de práticas sustentáveis na exploração dos recursos naturais.

Os engenheiros de pesca podem atuar em diversas áreas, como empresas de pesca e de aquicultura, indústrias de processamento de pescado, consultorias ambientais e órgãos governamentais de gestão de recursos naturais.

Segundo o Anuário 2024 da Associação Brasileira da Piscicultura (Peixe BR), em 2023, o Brasil produziu cerca de 887 mil toneladas de peixes de cultivo. Entre os principais produtores estão os estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rondônia e Santa Catarina.

Além disso, o Brasil é o quarto maior produtor mundial de tilápia, atrás apenas de Egito, Indonésia e China. E nos últimos dez anos, o cultivo de peixes cresceu 53,25%. Ou seja, está evoluindo.

Quanto ganha um Engenheiro de Pesca?

O salário de um engenheiro de pesca pode variar bastante dependendo da região e da experiência do profissional. De acordo com dados do Glassdoor, a média salarial gira em torno de R$ 4.000,00 por mês.

Principais dúvidas sobre o curso de Engenharia de Pesca

Ao considerar o curso de Engenharia de Pesca, muitos estudantes têm dúvidas sobre a estrutura do curso, a rotina acadêmica e as oportunidades de carreira. Por isso, respondemos às perguntas mais frequentes para ajudar você a tomar uma decisão informada!

Quanto tempo dura o curso de Engenharia de Pesca?

O curso de Engenharia de Pesca, geralmente, tem a duração de cinco anos, divididos em dez semestres.

Durante esse período, os alunos cursam disciplinas teóricas e práticas, além de fazerem estágios que complementam a formação acadêmica.

Tem TCC no curso de Engenharia de Pesca?

Sim, o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é obrigatório em muitas faculdades de Engenharia de Pesca.

O TCC permite que os alunos aprofundem seus conhecimentos em um tema específico de interesse e demonstrem suas habilidades de pesquisa em projetos teóricos ou práticos.

Como funciona o estágio no curso de Engenharia de Pesca?

O estágio é parte fundamental da formação em Engenharia de Pesca.

Os alunos devem cumprir uma carga horária mínima de estágio supervisionado, que pode ser realizado em empresas de pesca, indústrias, instituições de pesquisa ou órgãos governamentais.

Qual a nota de corte do SiSU para o curso de Engenharia de Pesca?

Todos os anos, as notas de corte do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) - que dá acesso a diversas universidades públicas no país - variam conforme o desempenho dos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a quantidade de inscritos por curso.

Reunimos as maiores notas de corte para o curso de Engenharia da Pesca em ampla concorrência na edição do SiSU 2024:

InstituiçãoUFNota de corte
UFAM - Universidade Federal do AmazonasAM761,29
UFRA - Universidade Federal Rural da AmazôniaPA727,15
UNEB - Universidade do Estado da BahiaBA710,08
UFC - Universidade Federal do CearáCE626,22
UFAL - Universidade Federal de AlagoasAL598,98

Veja também as menores notas de corte para o curso de Engenharia da Pesca em ampla concorrência na edição do SiSU 2024:

InstituiçãoUFNota de corte
UFDPAR - Universidade Federal do Delta do ParnaíbaPI547,28
UFERSA - Universidade Federal Rural do Semi-ÁridoRN545,95
IFES - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito SantoES543,43
UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco (Matutino)PE502,71
UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco (Vespertino)PE485,25

Como é a concorrência para o curso de Engenharia de Pesca em outros vestibulares?

A concorrência para o curso de Engenharia de Pesca pode variar bastante dependendo da universidade e da região. Em geral, as universidades públicas tendem a ser mais concorridas, com um número maior de candidatos por vaga.

Veja algumas concorrências dos últimos vestibulares:

InstituiçãoUFCandidato/vaga
Unesp - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"SP1,5
UVA - Universidade Estadual Vale do AcaraúCE0,63
Uneb - Universidade do Estado da Bahia (Paulo Afonso)BA0,55

Como passar no SiSU e vestibulares no curso de Engenharia de Pesca?

Para garantir uma vaga no curso de Engenharia de Pesca pelo SiSU ou vestibulares, é fundamental ter uma boa preparação. Você pode começar definindo um cronograma de estudo, baseado no seu tempo livre e nos assuntos que mais caem no Enem e nos processos seletivos.

Outros métodos de preparação interessantes são fazer simulados ou estudar por questões, que ajudam a entender o formato das perguntas e o tempo necessário para respondê-las.

Se você quer ser aprovado no curso de Engenharia de Pesca, conte com a ajuda do Aprova Total. A plataforma oferece:

  • mais de 4 mil videoaulas, do básico ao avançado;
  • apostilas, mapas mentais e guias de sobrevivência;
  • correção de redações com feedback detalhado;
  • webdocumentários (os AprovaDocs) sobre questões sociais, políticas, culturais, da natureza e do universo;
  • aulas de atualidades para você se informar sobre os principais acontecimentos do mundo.

👉 Leia também: 10 dicas para estudar online e ter aproveitamento máximo

banner

Conclusão

O curso de Engenharia de Pesca oferece uma formação ampla e prática, abrangendo desde Biologia e tecnologias de pesca até gestão ambiental. Ele prepara os alunos para trabalharem em empresas privadas, órgãos governamentais, ONGs e instituições de pesquisa.

Além disso, a profissão está em constante evolução com o uso de novas tecnologias, como drones e sensores, que aumentam a eficiência da produção e ajudam na preservação dos ecossistemas naturais. O setor também é promissor no Brasil, crescendo mais de 50% na última década.

Assim, se você se interessa por administração, planejamento e pela indústria da pesca, essa pode ser a profissão ideal!

TEMAS:

avatar
Érica Travain

Jornalista e colaboradora do Aprova Total, com 10 anos de experiência na redação de textos para revistas, sites e blogs sobre educação, saúde, comportamento e tecnologia.

Ver mais artigos de Érica Travain >

Jornalista e colaboradora do Aprova Total, com 10 anos de experiência na redação de textos para revistas, sites e blogs sobre educação, saúde, comportamento e tecnologia.

Ver mais artigos de Érica Travain >

Compartilhe essa publicação:

Veja Também

Assine a newsletter do Aprova Total

Você receberá apenas nossos conteúdos. Não enviaremos spam nem comercializaremos os seus dados.