Ciências Humanas Filosofia e Sociologia

Conheça os filósofos pré-socráticos e suas principais ideias

Eles viveram entre os séculos VI e V a.C., na Grécia Antiga, e receberam esse nome justamente por serem contemporâneos de Sócrates. Saiba mais sobre os "primeiros filósofos"

Acessibilidade

Vamos estudar os filósofos pré-socráticos e sua importância para a Filosofia? Pioneiros, esses pensadores estabeleceram as bases da filosofia ocidental. A seguir, você lê um resumo das principais ideias e correntes filosóficas desse período, levando em consideração a relevância de tais conhecimentos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e outros vestibulares.

Acompanhe a gente nessa jornada para descobrir as raízes da Filosofia e explorar as teorias revolucionárias dos filósofos pré-socráticos.

Quem foram os pré-socráticos: contexto histórico 

Os filósofos pré-socráticos viveram entre os séculos VI e V a.C., na Grécia Antiga, e receberam esse nome justamente por serem contemporâneos de Sócrates - ou seja, podemos chamá-los de "os primeiros filósofos".

Esse período foi marcado por um intenso desenvolvimento intelectual, em que a Grécia passava por mudanças sociais, políticas e culturais significativas. Nesse contexto, os filósofos pré-socráticos dedicaram-se a buscar explicações racionais para o mundo natural e a compreender a origem e a natureza do universo, a arché.

Eles se afastaram das explicações mitológicas tradicionais e se apoiaram na observação, no raciocínio lógico e na especulação filosófica. Os pré-socráticos também contribuíram para a separação entre o mito e a razão, abrindo caminho para a Filosofia como disciplina autônoma, que influencia o pensamento ocidental até hoje.

Escolas de filosofia pré-socrática

As escolas de filosofia pré-socrática englobam uma variedade de pensadores e correntes de pensamento que buscavam compreender a natureza e o universo. Essas correntes filosóficas podem ser resumidas em três principais: a Escola Jônica, a Escola Pitagórica e a Escola Eleática.

  • Escola Jônica

Representada por filósofos como Tales de Mileto, Anaximandro e Anaxímenes, focava na busca de uma substância primordial ou princípio fundamental que constituía a realidade. Eles acreditavam que a água, o ar ou o infinito (ápeiron) eram as origens de tudo o que existe.

Esses filósofos também se preocupavam com a observação e o estudo da natureza, buscando explicações racionais para os fenômenos naturais.

  • Escola Pitagórica

Liderada por Pitágoras e seus seguidores, preocupava-se com a Matemática e a harmonia do universo. Eles acreditavam na existência de números como a essência de todas as coisas e enfatizavam a importância da razão e do conhecimento matemático para a compreensão do mundo.

  • Escola Eleática

Parmênides e Zenão eram seus representantes, que tinham como principal foco o estudo do ser e do não ser. Eles defendiam a ideia de que o ser é imutável e eterno, enquanto o não ser é apenas uma ilusão. Por meio de argumentos lógicos e paradoxos, buscavam demonstrar a impossibilidade do movimento e da mudança.

Principais filósofos pré-socráticos

Os cinco filósofos pré-socráticos com maior influência foram: Tales de Mileto, Pitágoras, Heráclito, Parmênides e Empédocles. Vamos conhecê-los?

Tales de Mileto

Tales de Mileto

Considerado um dos primeiros filósofos ocidentais, ele acredita que a água era a arché, ou seja, a substância primordial e fundamental do universo. É conhecido também por suas habilidades matemáticas e seu envolvimento em assuntos políticos. As informações que temos sobre Tales vêm por meio de outros filósofos, como Aristóteles. Aliás, é ele quem afirma que Tales pensava que todas as coisas vinham da água, e que chegou a essa conclusão observando a umidade dos alimentos.

Imagem: Wikimedia Commons

Pitágoras de Samos

Pitágoras de Samos - filósofos pré-socráticos

Um dos mais emblemáticos filósofos entre os pré-socráticos, fundou a Escola Pitagórica de Filosofia, que acabou se tornando um grupo místico e esotérico. Ele via a Matemática como uma linguagem universal e acreditava na existência de números como a essência de todas as coisas. Sua escola também enfatizava a importância da purificação da alma e da busca pela harmonia.

Imagem: Wikimedia Commons

Heráclito de Éfeso

Heráclito de Éfeso - filósofos pré-socráticos

Conhecido pela famosa frase "Ninguém pode se banhar duas vezes no mesmo rio", Heráclito introduziu a ideia do devir na Filosofia - ou seja, tudo flui, tudo é movimento. Ele defendia que a mudança e a impermanência eram características fundamentais do universo. Considerava o fogo como a arché e acreditava que a realidade era feita de opostos em constante conflito.

Imagem: Wikimedia Commons

Parmênides de Eléia

Parmênides de Eléia - filósofos pré-socráticos

Argumentava que o ser era imutável, eterno e único e enfatizava a importância da razão e da lógica. É atribuída a Parmênides a fundação da Ontologia (ciência do ser) e a célebre frase “O ser é e o não ser não é”. Além disso, foi o primeiro filósofo a distinguir entre verdade (aletheia) e opinião (doxa). Acreditava na unidade do ser (o ser é), mas ao mesmo tempo considerava o mundo sensível, ou tudo o que muda, como ilusão (o não ser não é).

Imagem: Wikimedia Commons

Demócrito de Abdera

Demócrito de Abdera

É considerado o pai da teoria atômica e é dele a ideia de que o átomo, uma partícula indivisível, compõe todas as coisas do Universo. Para Demócrito, os átomos eram a arché. Além disso, em sua teoria, não estavam parados, mas sempre em movimento, colidindo uns com os outros e formando novos tipos de matéria. Dependendo do quanto os átomos estivessem unidos, a matéria poderia adquirir uma natureza sólida, gasosa ou líquida.

Imagem: Wikimedia Commons

Além desses filósofos, o período pré-socrático teve outros expoentes. Preparamos uma tabela que você pode incluir nos seus estudos de Filosofia para o Enem:

FilósofoArché
Tales de Mileto Água
AnaximandroÁpeiron (ilimitado, infinito)
AnaxímenesAr
PitágorasNúmeros
HeráclitoFogo, opostos, movimento
EmpédoclesÁgua, terra, fogo e ar
ParmênidesSer
AnaxágorasHomeomerias (partículas similares infinitamente pequenas)
DemócritoÁtomos
XenófanesDivindade universal e imutável

Extensivo Medicina Banner

Importância atual dos filósofos pré-socráticos

Os pré-socráticos, embora tenham vivido há milênios, ainda são relevantes para a Filosofia e outras áreas do conhecimento. Seus questionamentos e abordagens pioneiras estabeleceram as bases para a filosofia ocidental e influenciaram o pensamento filosófico posterior.

As investigações sobre a natureza da realidade, a origem do universo e a busca por explicações racionais chegaram às ciências, à Matemática e até mesmo à cultura contemporânea.

Por exemplo, as ideias de Heráclito formam a espinha dorsal do pensamento de um dos filósofos mais importantes do século 19, Hegel. E não podemos esquecer de Pitágoras, ancestral de vários movimentos new age e sociedades secretas que existem hoje.

Além disso, a ênfase dada à observação, ao raciocínio lógico e à busca por uma compreensão mais profunda do mundo natural ainda ressoa nos debates e discussões atuais. Portanto, estudar e compreender os filósofos pré-socráticos permite não apenas apreciar a evolução do pensamento humano, mas também aprofundar nossa compreensão da natureza do conhecimento e da realidade em que vivemos.

Como os filósofos pré-socráticos aparecem no Enem e nos vestibulares?

Os pré-socráticos estão entre os top 5 assuntos que mais aparecem na prova de Filosofia do Enem. Em geral, os exames buscam avaliar o conhecimento dos estudantes sobre as principais correntes e conceitos desenvolvidos por esses filósofos pioneiros.

Costumam ser apresentadas citações ou trechos de suas obras, seguidos de perguntas que exigem a compreensão e a aplicação desses conceitos. Além disso, é comum solicitar análises comparativas entre diferentes filósofos pré-socráticos, bem como a relação entre suas teorias e as questões filosóficas contemporâneas.

Portanto, é fundamental estar por dentro das principais ideias e correntes filosóficas pré-socráticas, assim como do contexto histórico em que surgiram. Veja uma questão que cobra essa análise comparativa entre diferentes filósofos pré-socráticos:

Exemplo de exercício - Comparação entre filósofos pré-socráticos

(Enem 2016) 
Texto I

Fragmento B91: Não se pode banhar duas vezes no mesmo rio, nem substância mortal alcançar duas vezes a mesma condição; mas pela intensidade e rapidez da mudança, dispersa e de novo reúne.

HERÁCLITO. Fragmentos (Sobre a natureza). São Paulo: Abril Cultural, 1996 (adaptado).

Texto II

Fragmento B8: São muitos os sinais de que o ser é ingênito e indestrutível, pois é compacto, inabalável e sem fim; não foi nem será, pois é agora um todo homogêneo, uno, contínuo. Como poderia o que é perecer? Como poderia gerar-se?

PARMÊNIDES. Da natureza. São Paulo: Loyola, 2002 (adaptado).

Os fragmentos do pensamento pré-socrático expõem uma oposição que se insere no campo das

a) investigações do pensamento sistemático.    

b) preocupações do período mitológico.    

c) discussões de base ontológica.    

d) habilidades da retórica sofística.   

e) verdades do mundo sensível.

Resposta: [C]
A alternativa é a correta, pois os fragmentos do pensamento pré-socrático expõem uma oposição que se insere no campo das discussões de base ontológica, ou seja, que tratam da natureza do ser e da realidade em si.

Ao estudar para o Enem e os vestibulares, é preciso revisar as principais contribuições de filósofos como Tales de Mileto, Pitágoras, Heráclito, Parmênides, Empédocles e outros. É importante compreender suas teorias sobre a natureza da realidade, as archés (princípios fundamentais), as concepções de movimento e mudança, além de ter uma noção das escolas filosóficas em que se inseriram.

É fundamental também relacionar suas ideias com questões contemporâneas e saber como analisar textos, interpretar citações e responder a questões que exijam a aplicação dos conceitos pré-socráticos a situações específicas.

Confira mais um exemplo de exercício de Filosofia, dessa vez sobre a arché:

Exemplo de exercício - Arché

(Enem 2022)  Empédocles estabelece quatro elementos corporais – fogo, ar, água e terra –, que são eternos e que mudam aumentando e diminuindo mediante mistura e separação; mas os princípios propriamente ditos, pelos quais são movidos, são o Amor e o Ódio. Pois é preciso que os elementos permaneçam alternadamente em movimento, sendo ora misturados pelo Amor, ora separados pelo Ódio.

SIMPLÍCIO. Física, 25, 21. In: Os pré-socráticos. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

O texto propõe uma reflexão sobre o entendimento de Empédocles acerca da arché, uma preocupação típica do pensamento pré-socrático, porque

a) exalta a investigação filosófica.   

b) transcende ao mundo sensível.  

c) evoca a discussão cosmogônica.   

d) fundamenta as paixões humanas.   

e) corresponde à explicação mitológica.   

Resposta: [C]
A alternativa está correta, pois o texto de Empédocles evoca a discussão cosmogônica ao abordar os elementos primordiais e os princípios que os movem, buscando explicar as mudanças no universo.

📖 Quer saber mais sobre esse e outros conteúdos, além de ter acesso às melhores videoaulas para se preparar para os vestibulares e Enem? A plataforma Aprova Total tem tudo isso e muito mais!

Banner

TEMAS:

avatar
Giulia Silvestre Rocha

Graduanda em Ciências Sociais (licenciatura) pela UFSC e colaboradora do blog do Aprova Total.

Ver mais artigos de Giulia Silvestre Rocha >

Graduanda em Ciências Sociais (licenciatura) pela UFSC e colaboradora do blog do Aprova Total.

Ver mais artigos de Giulia Silvestre Rocha >

Compartilhe essa publicação:

Veja Também

Assine a newsletter do Aprova Total

Você receberá apenas nossos conteúdos. Não enviaremos spam nem comercializaremos os seus dados.